O Status da Mulher Muçulmana e o Véu no Islām – Shaykh Al-Albānī e Shaykh ‘Ubayd Al-Jābirī

tecido

bismillah (1)

Nos tempos confusos e caóticos em que estamos vivendo, muitas mulheres estão se voltando para o Islām devido ao que elas veem de beleza, simplicidade e nobreza. Elas desejam servir ao Senhor e Criador delas e adorar somente a Ele, sem associar parceiros ou intercessores e livres de práticas supersticiosas. Então, como as muçulmanas buscam praticar sua fé, elas começam a perceber a importância da modéstia e percebem os males da nudez. Muitos homens aproveitam-se das mulheres e as veem como nada mais do que objetos sexuais a serem explorados. Esta não é a visão islâmica das mulheres. No entanto, é um ponto a se observar para os muçulmanos, que se uma mulher cristã, tal como uma freira, é vista em roupas modestas que cobre sua cabeça e corpo, então ela é vista como virtuosa, nobre e modesta – ainda assim, se uma muçulmana é vista com o mesmo tipo de roupa, ela é rotulada como extremista ou, de outra forma, oprimida pelos homens – mesmo se ela veste o véu pela sua própria e livre escolha!

O status da mulher muçulmana no Islām é muito nobre e elevado e o efeito dela é muito grande na vida de todo muçulmano. Em verdade, a mulher muçulmana é a professora inicial na construção de uma sociedade virtuosa, contanto que ela siga a orientação do Qur’ān e da Sunnah Profética, visto que a aderência ao Qur’ān e à Sunnah distancia todo muçulmano ou muçulmana de ser desviado em qualquer assunto. Então, no curso de praticar sua fé, a muçulmana sabe que ela deve se cobrir como um ato de obediência ao seu Criador. Mas até que ponto e quais as condições para o véu islâmico (ḥijāb) correto?

Muito tem sido escrito e falado no ocidente sobre esse importante tópico, mas infelizmente a maior parte falha em acertar o alvo! A muçulmana é requerida a usar o se cobrir de acordo com os regulamentos do Qur’ān e da Sunnah pura. Nos tempos recentes, esses regulamentos se tornaram ofuscados devido a ignorância espalhada entre as comunidades muçulmanas. Vereditos são frequentemente emitidos por aqueles referidos como “eruditos muçulmanos”. No entanto, esses vereditos são frequentemente baseados sobre um viés cultural e político, não sobre o Qur’ān e a Sunnah. Uma pessoa também deve considerar o código de vestimenta da mullher crente nos tempos da profecia como uma fonte de orientação para as muçulmanas nos tempos modernos, já que a religião islâmica não está confinada a uma era ou localização em particular – pelo contrário, a beleza do Islām é para todos os tempos, todos os lugares e dá as boas-vindas todas as pessoas. Assim, esse pequeno folheto foi feito para esclarecer o leitor com as condições do ḥijāb, baseados sobre as provas textuais, com o entendimento dos Companheiros do Profeta Muḥammad (ﷺ).

– A Primeira Condição: Cobrir TODO o corpo, exceto o que é permitido ficar descoberto. –

E isto é mencionado no dito de Allāh, Exaltado Seja:

وَقُل لِّلْمُؤْمِنَاتِ يَغْضُضْنَ مِنْ أَبْصَارِهِنَّ وَيَحْفَظْنَ فُرُوجَهُنَّ وَلَا يُبْدِينَ زِينَتَهُنَّ إِلَّا مَا ظَهَرَ مِنْهَا ۖ وَلْيَضْرِبْنَ بِخُمُرِهِنَّ عَلَىٰ جُيُوبِهِنَّ ۖ وَلَا يُبْدِينَ زِينَتَهُنَّ إِلَّا لِبُعُولَتِهِنَّ أَوْ آبَائِهِنَّ أَوْ آبَاءِ بُعُولَتِهِنَّ أَوْ أَبْنَائِهِنَّ أَوْ أَبْنَاءِ بُعُولَتِهِنَّ أَوْ إِخْوَانِهِنَّ أَوْ بَنِي إِخْوَانِهِنَّ أَوْ بَنِي أَخَوَاتِهِنَّ أَوْ نِسَائِهِنَّ أَوْ مَا مَلَكَتْ أَيْمَانُهُنَّ أَوِ التَّابِعِينَ غَيْرِ أُولِي الْإِرْبَةِ مِنَ الرِّجَالِ أَوِ الطِّفْلِ الَّذِينَ لَمْ يَظْهَرُوا عَلَىٰ عَوْرَاتِ النِّسَاءِ ۖ وَلَا يَضْرِبْنَ بِأَرْجُلِهِنَّ لِيُعْلَمَ مَا يُخْفِينَ مِن زِينَتِهِنَّ ۚ وَتُوبُوا إِلَى اللَّهِ جَمِيعًا أَيُّهَ الْمُؤْمِنُونَ لَعَلَّكُمْ تُفْلِحُونَ

“E dize às crentes para abaixarem seus olhares (em relação às coisas proibidas), protegerem suas partes íntimas (de cometer atos sexuais ilícitos), não exibirem seus atrativos exceto o que é aparente, esconderem seus atrativos por todos os seus Juyūb (ou seja, seus corpos, cabeças, pescoços etc.) e não revelar seus atrativos exceto para os seus maridos, seus sogros, seus filhos, os filhos dos seus maridos, seus irmãos, os filhos dos seus irmãos e os filhos das suas irmãs, as mulheres muçulmanas, as escravas que as suas mãos direitas possuem (ou seja, suas escravas) e os escravos velhos os quais lhes faltam vigor ou crianças pequenas que não têm senso da vergonha do sexo. E que elas não batam seus pés de forma a revelar o que elas escondem dos seus atrativos. E implorem a Allāh por perdão, ó crentes, para que vocês sejam dos bem-sucedidos.” [Sūrah An-Nūr (24): 31]

Também o dito d’Ele:

يَا أَيُّهَا النَّبِيُّ قُل لِّأَزْوَاجِكَ وَبَنَاتِكَ وَنِسَاءِ الْمُؤْمِنِينَ يُدْنِينَ عَلَيْهِنَّ مِن جَلَابِيبِهِنَّ ۚ ذَٰلِكَ أَدْنَىٰ أَن يُعْرَفْنَ فَلَا يُؤْذَيْنَ ۗ وَكَانَ اللَّهُ غَفُورًا رَّحِيمًا

“Ó, Profeta! Diga a suas esposas, suas filhas e às crentes para cobrir todo os seus corpos com seus mantos (jilbāb). Isso será o melhor, que elas devem ficam conhecidas (como mulheres respeitáveis) a fim de que não sejam molestadas. E Allāh é Perdoador, Misericordiosíssimo. ” [Sūrah al-Aḥzāb (33):59]

Então, no primeiro versículo há uma obrigação clara sobre a mulher de esconder toda a sua beleza e a proibição de revelar qualquer coisa da sua beleza na frente de estranhos, exceto o que aparece sem intenção ou inevitavelmente e sua roupa externa é vestida sobre sua roupa normal. E quanto ao significado da palavra “jilbāb” (ou seja, o khimār), então isso é definido como um pano largo ou roupa que cobre a roupa da mulher (ou seja, a roupa de baixo) tanto quanto o seu véu na cabeça (ou seja, khimār), como foi mencionado pelos eruditos da religião e da língua árabe tais como Ibn Ḥajar, Al-Baghawī, Ibn Ḥazm, Al-Qurtubi e outros. Isto é apoiado completamente pelo dito da Companheira, Umm ‘Attiyah que disse:

“O Profeta (ﷺ) nos comandou a ir para o ‘Īd al-Fitr e ‘Īd al-Adha (para a oração da manhã do ‘Īd) … Então eu (Umm ‘Attiyah) disse: ‘Ó Mensageiro de Allāh! Se uma de nós não tem um jilbāb? ’ Ele (ﷺ) respondeu: ‘Que ela use o jilbāb da sua irmã. ’” [Coletado por al-Bukhārī e Muslim].

Então essa narração mostra claramente que mesmo que uma mulher não tenha o jilbāb para vestir antes de deixar sua casa, ela deve pedir emprestado para sua irmã muçulmana. Assim, não há dúvidas que vestir um jilbāb para mulheres é uma obrigação estabelecida no Qur’ān e na Sunnah. Deste modo, a mulher deve estar completamente coberta. No entanto, ela é permitida a descobrir seu rosto e suas mãos até seu pulso se ela deseja como foi afirmado por muitos grandes eruditos dos primeiros tempos sobre várias narrações do Mensageiro de Allāh (ﷺ), apesar que é melhor cobrir os rostos e as mãos. O grande erudito Al-Albānī afirmou que o jilbāb pode ser um pedaço de roupa ou dois pedaços, desde que isso cubra o khimār (ḥijāb) e cumpra com todas as condições do jilbāb, como afirmado aqui.

– A Segunda Condição: O Jilbāb não Deve Ser Embelezado. –

Isto é baseado no dito de Allāh:

“… e não revelar seus atrativos…” [Sūrah An-Nūr (24):31].

Esta beleza e atrativo é o que poderia causar os homens a olhar para as crentes com desejo.  E isto é apoiado completamente pelo dito de Allāh:

“… e não exiba seus atrativos como nos tempos da ignorância.” [Sūrah al-Ahzāb (33): 33].

O Profeta (ﷺ) disse:

“… a mulher que o marido está ausente e ele deixou com ela provisões mundanas suficientes e ela exibe sua beleza na sua ausência, então sobre eles não perguntem (ou seja, eles são dos destruídos). ” [Coletado por Al-Hakīm]

Imām Adh-Dhahabī disse no seu livro dos maiores pecados, que das ações que causam uma mulher de ser amaldiçoada é se ela exibiu seus adereços, tais como ouro, pérolas ou se perfumar quando deixar sua casa. É permissível, no entanto, para uma mulher utilizar outra cor que não seja preta e branca como seu jilbāb, desde que essa seja a norma entre as pessoas como dito pelos eruditos.

– A Terceira Condição: Que o Jilbāb não Seja Apertado ou Transparente. –

O Profeta (ﷺ) disse:

“Na última parte da minha Ummah (nação muçulmana) haverá mulheres que estarão nuas apesar de estarem vestidas, elas têm seus cabelos altos como as corcovas dos camelos. Amaldiçoai-as, porque elas são amaldiçoadas. Elas não vão entrar em Al-Jannah (Paraíso) e nem sequer vão sentir seu cheiro. ” [Coletado por at-Tabarānī e Muslim]

O grande erudito ibn Abdul-Barr disse que isto se refere as roupas que são apertadas e que mostram o corpo e não esconder isso, então ela está vestida em nome, mas nua na realidade. Em uma narração coletada por al-Bukhārī, ibn Sa’d e al-Bayhaqī, foi autenticamente relatado que Umm ‘Alqamah disse:

“Eu vi Hafsa, a filha de Abdur-Rahmān bin Abū Bakr, entrar na presença de ‘Aishah (a esposa do Profeta (ﷺ), e Hafsa estava com um khimār (ḥijāb) apertado e transparente, então ‘Aishah puxou-o dela (ou seja, puxou o ḥijāb) e disse: ‘Você não sabe o que Allāh revelou na Sūratun-Nūr? ’ Ela, então pediu por um khimār e vestiu-a com isso. ”

O significado de transparente, no que diz respeito ao jilbāb é que a cor da pele por baixo ou as roupas por baixo podem ser vistas através dele.

– A Quarta Condição: Que o Jilbāb Deve ser Largo e Não Deve ser Apertado de Modo a Revelar a Forma do Corpo. –

 E a razão é que o propósito das roupas externas da mulher é prevenir a tentação e a excitação e isto não será alcançado exceto por roupas largas e espaçosas. Então mesmo que a beleza por baixo não pode ser vista porque o jilbāb cumpriu com as condições anteriores, também deve cumprir com esta importante condição, através do qual a forma e o tamanho corporais da mulher não são descritas, tais como seus seios e seu quadril, devido ao jilbāb ser apertado. Pois, em verdade, se o jilbāb é apertado, então seu objetivo é perdido! O nobre Companheiro Usāmah bin Zaid disse:

“O Mensageiro de Allāh me deu um tecido copto denso para vestir que ele deu como um presente de Dihyah al-Kalbī. Então eu vesti minha esposa com isso. O Mensageiro de Allāh disse: ‘Por que você não vestiu esse tecido copto? ’ Eu respondi: ‘Eu vesti minha esposa com isso. ’ Então ele disse: ‘Comande-a a vestir algo por baixo disso, pois eu temo que isso vai revelar o tamanho dos ossos dela (ou seja, suas partes corporais). ’” [Coletado por Ahmad e Al-Bayhaqī].

– A Quinta Condição: Que o Jilbāb Não Deve Ser Aromatizado e Perfumado. –

Há muitas narrações do Mensageiro de Allāh (ﷺ) que proíbe as mulheres de deixar suas casas enquanto perfumadas. O Profeta (ﷺ) disse:

“Qualquer mulher que se perfuma e passa entre as pessoas de modo que eles possam sentir o seu aroma, assemelhou-se a um fornicador. ”[Coletado por An-Nasā’ī, Abū Dawūd e at-Tirmidhī].

Zainabath-Thaqafiyah afirmou que o Profeta (ﷺ) disse:

“Se qualquer mulher sai para ir a mesquita, não se aproxime de aromas perfumados. ” [Coletado por Muslim]

Uma mulher passou por Abū Hurairah com cheiro de perfume, então ele disse para ela:

“Ó crente do Exaltado! Você está indo para a mesquita? ” Ela disse: “Sim. ” Ele disse: “E você se perfumou para isso? ” Ela respondeu: “Sim. ” Então ele disse: “Então retorne para a sua casa e tome um banho, pois em verdade eu ouvi o Mensageiro de Allāh (ﷺ) dizer: ‘Allāh não vai aceitar a oração da mulher que sai para a mesquita cheirando a perfume até que ela retorne a sua casa e tome um banho (para tirar o cheiro). ’” ´[Coletado por al-Bayhaqī]

Então essas provas textuais devem ser alertas suficientes com relação a essa questão importante.

– A Sexta Condição: Que o Jilbāb não Deve se Assemelhar a Vestimenta do Homem. –

Esta condição é baseada sobre as narrações autênticas extensivas proibindo as mulheres de se assemelharem aos homens e dos homens se assemelharem as mulheres. Abū Hurayrah disse:

“O Mensageiro de Allāh amaldiçoou o homem que veste uma roupa de mulher e a mulher que veste uma roupa de homem. ” [Coletado por Abū Dawūd, ibn Mājah e Al-Hākim]

E ‘Abdullāh bin ‘Amr disse que ouviu o Mensageiro de Allāh (ﷺ) dizer:

“Não é de nós aquelas mulheres que se assemelham aos homens e os homens que se assemelham as mulheres. ” [Narrado por Ahmad]

Ibn Abbās disse:

“O Profeta (ﷺ) amaldiçoou os homens que tem um comportamento afeminado e amaldiçoou as mulheres que tem um comportamento masculinizado. ” [Coletado por al- Bukhārī e Abū Dāwūd].

E isto se refere a pegar o comportamento que é específico do sexo oposto, tal como utilizar os tipos de embelezamento, joias, roupas e etc.

– A Sétima Condição: Que o Jilbāb não Deve se Assemelhar as Roupas dos Descrentes. –

Os textos do Qur’ān e da Sunnah estabelece para os muçulmanos que eles devem ter sua própria identidade que deve ser preservada. A legislação islâmica, assim sendo, proíbe de se assemelhar aos descrentes no que é específico para eles na sua adoração, suas celebrações e suas vestimentas. Este é um importante princípio no Islām que tem sido abandonado nesses tempos, tanto que muito da herança islâmica está se perdendo com o passar das gerações e isto é devido ao grande número de muçulmanos seguindo cegamente as práticas culturais não-islâmicas. Em relação a isso há muitas narrações autênticas do Profeta (ﷺ), tais como:

“Diferenciem-se das pessoas da Escritura…”

“Diferenciem-se dos Judeus…”

“Diferenciem-se dos descrentes…”

“Quem quer que imite um povo é um deles.”

[Coletado por At-Tirmidhī, Ibn Hibbān, Abu Dāwūd e outros.]

Então ele (ﷺ) comandou as pessoas a se diferenciarem dos não-muçulmanos em diferentes questões tais como deixar crescer a barba, aparar o bigode, fazer a oração com os sapatos, etc. Adicionalmente, o Mensageiro de Allāh (ﷺ) disse:

“Vocês vão seguir os passos daqueles que vieram antes de vocês, palmo por palmo e passo por passo tanto que se eles entrarem numa toca de lagarto, vocês certamente entrariam nisso! Então foi dito: ‘Você quer dizer os Judeus e os Cristãos? ’ Ele (ﷺ) disse: ‘Quem mais?! ’” [Coletado por al- Bukharī e Muslim].

– A Oitava Condição: Que o Jilbāb não Deve Ser Shuhrah, ou seja, Ostentoso Buscando a Fama ou Reputação.

O Profeta (ﷺ) disse:

“Quem quer que se vista buscando se destacar e buscar fama nesse mundo, Allāh vai vesti-lo com roupas da humilhação no Dia da Ressurreição, então isso vai ser incendiado, em chamas. [Coletado por Abū Dāwūd e Ibn Mājah]

Shaykh Al-Albānī mencionou que isso se refere a qualquer roupa que é vestida com a intenção de se destacar entre as pessoas, seja a roupa com alto custo que se pode usar para se vangloriar em relação a esse mundo e o seu adorno; ou a roupa humilde e simples que é usada para mostrar abstenção e por exibir um ato justo com o propósito de impressionar os outros. Ibnul-Athīr afirmou que isso significa fazer algo manifesto e a intenção aqui é que a roupa é tal que isso faz com que a pessoa se destaque entre as pessoas de um povo devido a roupa ser colorida diferente das roupas que são vestidas nas roupas de um povo, então as pessoas olham em direção a tal pessoa, então ele exibe auto importância tal que isso causa admiração e orgulho (veja Naylul-Awtār 2/94). Quando perguntando em relação as várias cores dos jilbāb que as esposas do Profeta (ﷺ) vestiram, o Shaykh Ubaid Al-Jābarī afirmou que a intenção por trás do que foi mencionado nessas narrações não eram cores que chamavam atenção, então não se deve imaginar que as Mães dos Crentes e suas irmãs dentre as Companheiras ou suas sucessoras costumavam usar jilbāb ou khimars como uma forma de chamar atenção dos homens sem parentesco em direção a elas.

Tradução: ‘Aishah Barletta

Fonte: “Jilbāb Al-Maratil-Muslimah fil-Kitāb was-Sunnah”, do Shaykh Al-Albānī e “A Madīnah Dawrah (1428 H)”, do Shaykh ‘Ubayd Al-Jābirī

Tradução original: http://www.salafipublications.com/sps/sp.cfm?subsecID=HJB&articleID=HJB0002&articlePages=1

Traduzido originalmente por: Abu Khadeejah ‘Abdul-Waahid

Um comentário em “O Status da Mulher Muçulmana e o Véu no Islām – Shaykh Al-Albānī e Shaykh ‘Ubayd Al-Jābirī

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s