A Prática da Oração na Vida de Um Muçulmano: Ṣalāh (Islām 2.4)

bismillah (1)

Cada oração das cinco orações diárias consiste em um número fixo de Rak’āt (ou unidades) que consiste em uma sequência de movimentos e ditos. Então a oração do amanhecer (Fajr) tem duas Rak’āt, a oração do meio dia (Dhuhr) tem quatro Rak’āt, a oração do meio da tarde (‘Asr) tem quatro Rak’āt, a oração depois do pôr-do-sol (Maghrib) tem três Rak’āt e a oração da noite (‘Ishā) tem quatro Rak’āt. Todo muçulmano é obrigado a saber disso e como fazê-las. Cada rak’āh (unidade de oração) consiste em:

  1. Takbīr (dizer: Allāhu akbar) – Allāh é o Maior.
  2. Recitação do Capítulo de Abertura, Sūratul-Fātihah do ān seguido por uma outra Surāh do resto do Qur.ān.
  3. Outro Takbīr seguido pela genuflexão (Rukū’) no qual Allāh é glorificado e Seu Poder exaltado.
  4. Duas prostrações (sajdahs) no qual Allāh é glorificado e Sua Alteza exaltada.

Então, no geral, cada rak’āh consiste desses atos. Quando os muçulmanos fazem a oração em jamā’ah (congregação) na Mesquita ou em um grupo em outro lugar, eles indicam alguém para fazer o Adhān (o chamado da oração) e o Iqāmah (o chamado iminente para orar) e então alguém proficiente para lidera-los (o Imām) nestas rak’āt. O Profeta ﷺ disse:

“O Imām é apontado para ser seguido, então, se ele faz o takbīr, então faça o takbīr; se ele faz o rukū’, então faça o rukū’ (depois dele); quando ele se levanta disso, então levante-se, quando ele diz: sami ‘Allāhu liman hamida (Allāh ouve aquele que o louva), então diga: Rabbanā walakal-hamd (nosso Senhor e para ti é todo louvor). Se ele faz a oração sentado, então todos vocês façam a oração sentado.” [Bukhārī, nº 722]

Os muçulmanos amam fazer a oração em congregação e seguem os movimentos do Imām, nunca antecipando ele ou fazendo os movimentos muito atrás dele. Eles permanecem focados na oração. Essa uma visão impressionante, e mais impressionante quando as pessoas estão fazendo a oração corretamente. A oração é um ato de submissão, obediência e unidade diante de Allāh. Espera-se que os muçulmanos rezem exatamente como o Profeta ﷺ rezou e, ao fazer isso, seguem o exemplo do último Profeta ﷺ.

A Oração da Jumu’ah (Oração da Sexta-feira)

Essa oração é feita logo depois do meio dia. Todo muçulmano homem e adulto é obrigado a comparecer e o Profeta ﷺ disse:

“Entre cada uma das cinco orações e de uma oração da sexta-feira a outra oração da sexta-feira há expiações para os pecados cometidos entre elas.” [Muslim, nº 233]

E ele ﷺ também disse:

“O melhor dia que o sol nasce é na sexta-feira. Nesse dia, Ādam foi criado, nesse dia entrou no Paraíso e neste dia foi expulso. E a Hora não será estabelecida, exceto na sexta-feira.” [Tirmidhī, nº 488]

Ele ﷺ também disse:

“Se alguém pratica a ablução, fazendo-a bem, então vem à oração da sexta-feira, ouve e fica calado, seus pecados entre esse período e a próxima sexta-feira serão perdoados a três dias a mais; mas quem toca pedras durante o sermão causou corrupção.” [Abu Dawūd, nº 1050]

As mulheres não são obrigadas, mas são bem-vindas a irem. O Imām faz um sermão (Khutbah) e então lidera a oração. Qualquer adulto que não comparecer a três jumu’ahs seguidos, “seu coração está selado”, como o Profeta ﷺ disse, o que significa que está fechado para a bondade e a orientação. Portanto, a falta de uma jumu’ah é proibida e a falta de três é ainda pior. Estudantes de escolas e faculdades e funcionários precisam negociar com a administração para frequentar a jumu’ah por motivos religiosos, sem permitir que estudos ou trabalhos sejam negligenciados. Um muçulmano não deve negligenciar suas responsabilidades no trabalho ou na escola. A maioria das organizações com visão de futuro razoável não recusará. As empresas e lojas muçulmanas fecham durante a oração da sexta-feira e depois retornam após a conclusão. Sexta-feira não é um “dia de descanso” para os muçulmanos, como o domingo é para os cristãos. Mas é um dia de tomar banho, se arrumar, usar roupas bonitas e aplicar perfume (para os homens).

Du’ā (Súplicas):

Os não-muçulmanos se referem a isso simplesmente como “orações”, no entanto, no Islām, elas são chamadas de súplicas(ou du’ā) porque nelas você pede a Allāh orientação, perdão, ajuda, boa saúde, cura de doenças, tranquilidade, resgate de danos, misericórdia, provisão, boa vida, boa morte e boa Próxima Vida. Elas podem ser feitas a qualquer momento e muitas vezes são recitados na Ṣalāh (as cinco orações diárias), e especialmente durante a sajdah (prostração) e no final da oração. Embora existam centenas de súplicas relatadas nos aḥādīth em árabe, é permitido que se suplique em outros idiomas se eles não falam árabe – e isso é uma misericórdia de Allāh que permite que pessoas de qualquer origem invoquem seu Senhor. Allāh disse:

“Invocai-me e Eu responderei a sua súplica.” [Ghafir (40): 60]

Um muçulmano nem sempre consegue o que quer, mas Allāh ouve as súplicas e responde da melhor maneira: talvez Allāh não lhe dê o que você pede e, em vez disso, lhe dê uma alternativa melhor que você não sabia que era melhor para você; ou Ele retém o que você pediu e perdoa seus pecados; ou Ele retém o que você procura, porque Ele o substituirá pelo Paraíso e aumentará seu nível nele. Na maioria das vezes, Allāh dá a Seus servos piedosos e crentes o que eles pedem (desde que não seja pecaminoso). Um exemplo de súplica quando alguém é provado com o sofrimento que o Profeta ﷺ ensinou seus Companheiros a dizer:

“Mantenha-me vivo enquanto for bom para mim e me dê a morte quando for bom para mim.”

Uma súplica como essa impede que alguém deseje a morte, e o faz perceber que sua vida e morte estão nas mãos de Allāh e, por fim, deve-se pedir o que é melhor e não necessariamente o conveniente. Um muçulmano faz du’ā e pedi a Allāh mesmo que Allāh saiba o que ele precisa – mas, pedindo sinceramente a Allāh, o humano percebe que não há poder e nem movimento, exceto se Allāh quiser, então o muçulmano reconhece isso e se lembra disso, e glorifica seu Criador e busca Sua ajuda, e se humilha diante de ser Senhor, e reconhece suas fraquezas e incapacidade de alcançar qualquer coisa sem a ajuda de seu Senhor, então ele se volta para Allāh, e assim, Allāh está satisfeito com ele e concede Seu sucesso aos servos – e, portanto, o du’ā é um ato de adoração necessário.

A Importância da Oração

Os muçulmanos acreditam que estas orações são tão importantes, que qualquer pessoa que para de fazer a oração regularmente perderá sua fé (Īmān). Por favor, veja a série anterior Islām 2.2 e Islām 2.3. Um muçulmano não pode nunca subestimar a importância das orações.

Atividade:

  1. De acordo com os muçulmanos, Allāh é Conhecedor de todas as coisas, então Ele já sabe o que nós queremos, então por que fazer du’ā?
  2. Por que o muçulmano faz a oração?

Traduzido por: ‘Aishah bint Humberto Barletta

Texto originalmente em: https://www.abukhadeejah.com/the-practice-of-prayer-in-the-life-of-a-muslim-salah-islam-2-4/

Texto escrito por: Abu Khadeejah

Um comentário em “A Prática da Oração na Vida de Um Muçulmano: Ṣalāh (Islām 2.4)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s